Dicionário da Fronteira – Gaúcho

DICIONÁRIO DA FRONTEIRA

Orgulho de ser gaúcho…


Abaralhar (agarrar no ar objeto lançado a distância)
Abombado (abobalhado)
Abrir a graxeira (falar tudo o que sabe)
Acavalado (sobreposto de mal jeito, amontoado
Acho brabo (duvido)
Acocado (abaixado)
Aculherar (juntar, recolher)
Adulão (puxa-saco)
Afeitar (fazer a barba)
Ajeitado (arrumado)
Alto do chão (apressado)
Aluado (sujeito de lua, mau humorado)
Amolado (adoentado)
Andaço (vírus que contamina várias pessoas)
Apartar (separar, dividir)
Aplastado (desanimado)
Apontar (anotar alguma coisa)
Aprochega (aproxime-se)
Apurado (com pressa, apressado)
Aquentar (esquentar, aquecer)
Arrabalde (subúrbio, periferia da cidade)
Arrecém (recentemente)
Asa (cheiro ruim nas axilas)
Assado (churrasco)
Atado (indeciso, sem saber o que fazer)
Atarantado (preocupado, atrapalhado)
Atoa (sujeito desqualificado)
Atochar (mentir, enrolar)
Atorado (sem dinheiro, pelado)
Bocó (bobo)
Bolachinha (biscoito)
Boleio (chute forte)
Bolicho (armazém)
Bolita (bola de gude)
Bombear (olhar de longe sem participar)
Bonde (ônibus )
Borduada (batida forte)
Borracho (pessoa alcolizada)
Brabo (difícil)
Bixo carpinteiro (pessoa inquieta, tá com bixo carpinteiro)
Bucha (bronca, problema)
Bueno então me vou (bom, estou indo…)
Bóia (comida)
Cacetinho (pão francês)
Cagada (algo errado)
Cagaço (susto)
Campante (faceiro, de bem com a vida)
Campera (jaqueta)
Carpim (meia masculina)
Carão (quando alguém não quis dançar com outro)
Catinga (mau cheiro)
Castija (castelhano, cidadão uruguaio)
Chairado (cansado)
Chambão (sujeito ruim em alguma coisa)
Changa (trabalho eventual)
Chapeiro (aquele que faz chapa, gozação, brincadeira)
Chinelão (pessoa sem postura)
Choripan (lanche feito de pão e lingüiça)
Chuleando (cuidando, observando)
Chisme (conversa comprida, fazer onda)
Cisco (sujeira)
Corredor (estrada vicinal rural)
Corridão (expulsar alguém)
Croque (dar cascudo)
Cucharra (colher grande para servir sopa ou caldo)
Cusco (cachorro)
Cólica (diarréia)
De balde (sem ter o que fazer)
Deitar o cabelo (sair rápido, correndo)
Descaido (desanimado)
Desparelho (algo descordenado)
Doble chapa (aquele que tem dupla nacionalidade)
Empaxado (de barriga cheia)
Empenhado (ficar na mão)
Enfastiado (sem fome, embuchado)
Engatado (apaixonado, louco pela guria)
Engripar (pegar um resfriado)
Entrouxado (com muita roupa)
Escalavrado (machucado, arranhado)
Escroncho (esquisito, fora dos padrões)
Está em campanha (encontra-se em zona rural)
Estou numa naba danada (estar sem dinheiro)
Estou numa broca (estar com fome)
Fiasco (ato vergonhoso)
Folhinha (calendário)
Forcejar (ato de fazer força, levantar algo pesado)
Fresco (afeminado)
Fubica (carro antigo, velho)
Gaitada (risada forte)
Garganta (pessoa que fala demais)
Garrão (calcanhar)
Gatiar (roubar)
Gavóla (pessoa ixibida)
Gozado (engraçado)
Guizado (carne moída)
Indagar (pedir informação)
Japona (abrigo de inverno)
Jujo (planta medicinal)
Kidog (trailer de cahorro-quente)
Lagartear (descansar ao sol)
Lasquiado (chinelão, incherido)
Levantar (retirar encomenda ou documento)
Levei uma mijada (ouvir uma reprimenta)
Lida (trabalho)
Livreta (caderno pequeno para anotações)
Loco de especial (muito bom, ótimo)
Lumbriguento (doente)
Mal na foto (em posição delicada)
Manteiga derretida (pessoa dengosa)
Mangolão, mangolona (pessoa alta e magra com cara de abobado)
Matação (serviço  mal feito)
Mate (chimarrão)
Me durmi (expressão para justificar atraso)
Me cristiaram (que passaram pra trás, me enganaram)
Me matei (me dei mal)
Mixuruca (coisa pequena)
Moco (meleca do nariz)
Mondongo (dobradinha)
Mosquedo (grande quantidade de gente)
Murrinha (sujeito chato, miserável)
Não me sentô (comer algo e ficar mal do estômago)
Nuviado (dia nublado)
Paspado (lábios rachados)
Pechada (batida de carro)
Peitaço (atitude corajosa)
Peitudo (sujeito corajoso)
Pesado (sujeito muito chato)
Pexada (batida de carro)
Pialo (tombo)
Pila (Dinheiro)
Pombaço (pedrada)
Pomba (guria)
Putiada (xingar alguém)
Quatro oio (pessoa que usa óculos)
Que tal (saudação, como vai)
Que massa (legal)
Quedêlhe (onde está)
Rancho (compras no supermercado)
Relampiar (relampejar)
Renguear (o mesmo que mancar)
Resbalar (escorregar)
Retossando (se divertindo)
Revertério (quando dá pra trás ou algo dá errado)
Roupeiro (guarda-roupas)
Sarjeta (divisa da calçada com a rua)
Sinaleira (semáforo)
Sovaco (axilas)
Songa-monga (pessoa esperta fazendo-se de abobada)
Subida (lomba)
Tapado (sujeito burro ou ainda pode significar coberto)
Tatu (meleca do nariz)
Tchê loco (pronome de tratamento para os mais íntimos)
Te ficha (olha, observa)
Tentiando (tentando)
Trambolho (alguma coisa grande, exagerada)
Tramposo (que faz trampa, desonesto)
Tranca (derrubar, atingindo as pernas)
Tranquera (engarrafamento de automóveis)
Trempe (grade de churrasqueira ou similar)
Trilegal (fantástico, maravilhoso)
Trova (cantada)
Tunda de laço (apanhar muito)
Tá na unha (estar mal, acabando)
Urinol (penico)
Variando (falando besteira)
Vianda (marmita)
Vivente (pessoa simples, do povo)
Xarope (sujeito chato)
Xexelento (sujeito desqualificado)
Xucro (envergonhado)
Zanzando (andando)

Agora…
Acho “brabo” que com todo este dicionário você já não tenha praticado este “palavreado”… Não vem me “atochar”…
Gostou do dicionário? “Bem de bem” né?
É impossível que você não tenha dado uma “gaitada” com esse alfabeto “loco de especial”. “Bueno, então me vou.”.. “Vou deitar o cabelo”.
Com esse frio de “lascar” é só se “entroxando” mesmo pra aguentar… Porque ai fora tá de “renguiar cusco”!!

Obs. Não sei o autor do texto, se alguém souber, favor informar. Incluí algumas alterações no texto original.

Carlos Alberto Nunes Susviela
Sant´Ana do Livramento – RS

Sobre Carlos Susviela

Programador WebDeveloper (Sistemas e páginas internet) Técnico Informática --------------------------- Torcedor: S.C. Internacional / RS / Brasil
Esse post foi publicado em Entretenimento. Bookmark o link permanente.

7 respostas para Dicionário da Fronteira – Gaúcho

  1. muito legal Carlos, bem bagual, eheheeh abraço!!

  2. danielle disse:

    Mas bah guri flor de especial.
    tenho orgulho de ter nascido nesta querência onde existe tanta gente macanuda,se naõ nascia por estas bandas já tinha me acolherado.
    ainda tem uns bocó que naõ entendem patavinas do que falamos e por nada já se forma um entrevero.
    bueno gauchada deixo aqui um quebra costela que já to com o pé no estribo.
    meu respeito à todos que ainda cultivam as tradiçoés deste estado que me da orgulho de ser mais uma gaúcha e ter respeito pela minha querência.
    rio grande do sul me sinto faceira ter nascido aqui.

  3. Pingback: Episódio 31 – Free Shops: Rivera | Muambacast – O podcast do muambator

  4. Sandra Pimentel disse:

    E ainda faltou a tal de “VENDA’, “BUTÉCO, GURI E GURIA, XiNÓCA , BAGUAL, FANDANGO,TUNDA, VIVENTE , TRAGO, neste dicionário Gaúcho!!!! SOU FELIZ POR TER NASCIDO AQUI NO SUL E FAZER PARTE DESTE QUERIDO RIO GRANDE…..

  5. Anônimo disse:

    eu sou do MS e nos falamos bastante coisas do dialeto gaucho

  6. Stela Paris disse:

    Pelo menos uns cinquenta termos desses aí são falados em todo o Brasil, e não só no RS…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s